Bitcoins: o que são, como funcionam e os ataques de ransomware

Você sabia que atualmente existem mais de 1000 criptomoedas (as moedas de internet)? Para ser bem preciso, neste exato momento em que este artigo está sendo escrito o Coin Market Cap registra o total de 1465 moedas virtuais. Dessas, uma está no centro das atenções: o Bitcoin.

Um dos motivos para atrair as luzes do holofote é porque Bitcoins são definidos como a primeira moeda digital descentralizada. Isso significa que não existe nenhuma instituição por trás dessas moedas (como o Banco Central aqui no Brasil, por exemplo). Desse modo, o que regula o quanto vale um Bitcoin é a relação de oferta e procura.

Por serem utilizados no ambiente virtual, os Bitcoins não existem de forma palpável – como real ou dólar. Sendo assim, as transações referentes a essa criptomoeda são todas digitais e, para você ter uma ideia, de acordo com a página Spend Bitcoins existem mais de 100 mil serviços, sites e estabelecimentos que aceitam a moeda ao redor do mundo.

Bitcoins também tornam muito mais fáceis os pagamentos internacionais. Como não estão amarrados a nenhum país ou a regulamentações, não existem intermediários no processo de transferência da moeda virtual de um banco a outro. Logo, não existem taxas, burocracia e demora. No entanto, o que mais vem atraindo a atenção para a compra de Bitcoins são os investimentos. Antes de falarmos disso, vamos à pergunta:

Como funcionam os Bitcoins?

Para comprar Bitcoins é preciso, primeiramente, ter uma carteira virtual (ou wallet) que pode ser criada gratuitamente (recomendamos o site do Bitcoin.org para escolha de carteiras). Após ter instalada a carteira no seu celular ou computador, será gerado seu primeiro endereço Bitcoin. Este endereço é passado para um outro usuário para que ele possa pagá-lo ou transferir dinheiro a você, ou vice-versa.

O sistema segue mesmo princípio do e-mail, sendo que endereços de Bitcoins são usados apenas uma vez. Para esclarecer melhor:

  1. Primeiro cria-se uma carteira;
  2. Em seguida é necessário comprar bitcoins.

Os Bitcoins podem ser adquiridos de três maneiras:

  • Comprando-os em uma Bitcoin Exchange (que seria como uma casa de câmbio. O site Bitcoin.org recomenda três no Brasil: Foxbit, Mercado Bitcoin e Walltime);
  • Comprando-os de outra pessoa (chamado de transação peer-to-peer, ou P2P) ou de estabelecimentos. O site Bitcoin.org também traz recomendações;
  • Criando bitcoins por meio da mineração.

O que significa minerar?

Minerar é a tradução literal do termo usado em inglês – mining. Para minerar moedas (ou seja, criar Bitcoins), é necessário ter um software específico baixado em um computador. Esse computador fará parte de uma rede interligada de outros computadores que, por sua vez, fazem parte da rede de Bitcoin.

O processo de mineração tem a ver com tentar decifrar códigos com valores criptografados que são gerados pelo software e envolvem equações matemáticas de alta complexidade. O minerador que conseguir decifrar o problema primeiro recebe Bitcoins como bonificação.

Mineração, portanto, é uma maneira de criar e adquirir Bitcoins. Contudo, trata-se de um processo trabalhoso e que exige uma máquina dedicada a isso. Por isso, a maneira mais procurada para ter Bitcoins é através de uma Bitcoin Exchange conforme citamos.

E quanto vale um Bitcoin?

Bom, essa é a pergunta de ouro no momento. O valor do Bitcoin segue o princípio que ronda a economia: oferta e procura. Assim como Dólar, Euro, Libra ou Real, as criptomoedas também variam, sendo que no caso do Bitcoin a volatilidade é ainda maior devido à especulação.

A fim de que você entenda melhor, um bitcoin é dividido em várias partes (muito mais partes que nossos centavos) e você pode comprar uma pequena porção. Para ter uma ideia, 1 bitcoin (1 BTC) possui cem milhões de satoshis (satoshi é a menor parte de um bitcoin. O termo é em referência ao suposto criador da moeda). Em outras palavras: enquanto o Real possui os centavos, o Bitcoin possui os Satoshis.

Assim, se 1 BTC fosse igual a R$1.600,00, um satoshi seria de R$ 0,000016. Exatamente por isso que você pode, por exemplo, usar Bitcoins para fazer compras de menor valor.

Caso você queira saber a cotação de um Bitcoin hoje, recomendamos os sites:

Bitcoins são um bom investimento?

Investir em Bitcoins é um investimento de alto risco justamente devido a sua alta volatilidade. Portanto, antes de pensar em investir nas moedas especialistas recomendam que tudo seja feito com cautela e muito estudo.

Por ter sido criado um “boom” ao redor dos Bitcoins (muitos falam em Bolha de Bitcoin), o mercado está aquecido e muitos países já começaram a pensar em regulamentações. A relação entre oferta e procura regula o valor da moeda virtual, contudo, vale sempre pesquisar bem para saber se esse é o tipo de investimento ideal ao seu perfil.

Como você sabe, falar sobre investimento não é exatamente nossa especialidade aqui na Scurra. Para entrar mais na nossa área de atuação, temos que responder a uma outra dúvida muito comum:

Bitcoins são seguros?

Toda transação de Bitcoin fica registrada em um Blockchain (cadeia de blocos), que seria como um livro de registros. Lembra do conceito de minerar? Então, sempre que um Bitcoin é criado as suas transações são registradas de forma linear e cronológica na cadeia de blocos.

O Blockchain seria como um grande banco de dados. Como Bitcoins são moedas criptografadas todas suas operações são ligadas a uma chave segura e única na cadeia de blocos. Pelo Blockchain novos processamentos de informações ocorrem somente após validação, e o surgimento de um novo bloco não deleta o anterior. Isso garante que todas as informações fiquem registradas e é o que previne fraudes (pelo menos em tese). Além disso, a aprovação de cada transação depende de um consenso.

Como Bitcoins têm atraído cada vez mais atenção, existem muitos investidores inexperientes que começaram a investir na moeda, o que abriu as portas para os hackers. Em novembro de 2017, o Banco Central emitiu um comunicado alertando para a falta de segurança nas transações de Bitcoins.

Por isso, aqui vale seguir duas recomendações de especialistas:

  • Se for comprar Bitcoins em corretoras (as exchanges) a dica é escolher uma de confiança (sugerimos o ranking disponível no com);
  • Caso a compra seja feita diretamente com outro proprietário é preciso ter bastante confiança na relação.

E o que dizer dos ransomwares?

Ransomware seria uma espécie de malware que sequestra dados de um computador e cobra um dinheiro para resgate (um vírus sequestrador). Esse dinheiro geralmente é cobrado em forma de Bitcoins, o que faz com que seja praticamente impossível rastrear o hacker.

Explicamos melhor sobre ransomware neste artigo, mas como estamos tratando de Bitcoins, a dica aqui é prevenir-se. O caminho mais fácil para isso é manter o antivírus sempre atualizado e programado para fazer buscas periódicas.

Por isso, a regra para manter sua infraestrutura de TI segura é criar uma política de segurança de TI que garanta que os computadores da sua empresa estejam protegidos. O importante é ter a certeza de que os dados da sua organização nunca cairão em mãos erradas.

Atuar em conjunto com uma inteligência de TI significa garantir a segurança virtual de sua organização. Sejam ransomwares ou malwares, o fato é que o uso de sistemas preventivos como firewall, verificação de vírus e backup é primordial para empresas que querem possuir um ambiente corporativo mais seguro (e querem proteger seus bitcoins).

Caso você precise de ajuda nesse sentido, conte com a gente! Nós, da Scurra, oferecemos soluções tanto para um gerenciamento preventivo quanto para o combate de incidentes.

1 Comentário
  1. 2 anos ago
    vale a pena comprar litecoins

    Parabéns Sadi! Ótimo artigo, pois investimento em criptomoedas e principalmente o bitcoin ou litecoin, acredito eu que estará muito mais em alta nos próximos anos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *