Como preparar a TI para Big Data?

Esse cenário em que praticamente somos engolidos por informações vindas de fontes e formatos diversos (como e-mails, infográficos, vídeos, documentos etc) chamamos de Big Data. O termo não é novo, mas a difusão do assunto cresce na mesma medida em que aumenta exponencialmente a quantidade de dados que lidamos diariamente.

O princípio básico do Big Data está no volume de dados que devem ser gerenciados. A ele, segue-se a velocidade, já que quanto mais rápidos esses dados forem gerados, mais aceleradamente devem ser capturados, processados, armazenados e atualizados. Em seguida, temos a questão da variedade, já que os dados são disponibilizados em diferentes formatos. Assim, temos o que inicialmente era chamado de 3Vs do Big Data (Volume, Velocidade e Variedade).

Aos 3 Vs foram acrescentados mais dois: Veracidade – se não forem confiáveis e verídicos os dados não servirão para nada – e Valor – uma informação só será mesmo importante se trouxer valor à empresa. Por esses motivos, hoje já falamos em 5Vs do Big Data (Volume, Velocidade, Variedade, Veracidade e Valor).

E onde entra a TI nessa história?

No contexto de Big Data, o volume é a questão primordial, já que a quantidade de dados gerados cresce a cada minuto. O raciocínio é simples: quanto mais conectado o negócio estiver com seus canais, mais opções e escolhas estarão disponíveis ao cliente. Assim, dados são provenientes de interações em mídias sociais, transações de clientes, e-mails trocados, documentos sendo gerados e por aí vai.

E para que todo esse volume (e, claro, variedade de informação) possa ser coletado e interpretado, a estrutura de TI deve ter capacidade de armazenamento da informação. Data centers são uma ótima opção, inclusive por questões de segurança.

Aliás, em era Big Data a TI é responsável pela garantia da segurança das informações da empresa. Por isso, é importante que o setor consiga implantar a cultura de segurança por meio de uma política de segurança de TI (caso você precise de ajuda nesse sentido, recomendo este post e este outro). Além disso, controle de firewalls e de acesso são fundamentais.

Data centers são uma opção, assim como não podemos nos esquecer da Computação em Nuvem, a qual é uma tendência forte de empresas que estão vivenciando o Big Data. Os recursos de virtualização possibilitam à organização ter a infraestrutura necessária à operação confiável e segura de um servidor, sendo que até mesmo os procedimentos de backup fazem parte do serviço.

O acesso aos dados é outra questão a constar na pauta da área de TI, pois a informação deve estar cada vez mais acessível principalmente aos tomadores de decisão. Especialmente com a expansão do trabalho remoto, a pergunta a se pensar é: como gerenciar riscos nessa era em que colaboradores devem conseguir acessar as informações necessárias para desempenharem suas funções, não importando onde eles (os colaboradores) e elas (as informações) estão?

Mais uma vez, o foco deve ser na segurança da informação. Apesar de parecer óbvio, a questão da segurança continua sendo um desafio para empresas que investem em tecnologia para gestão de seus processos.

Lembre-se que prevenir é sempre melhor que remediar, e se você precisar de uma mão, conte com a gente! Caso queira conversar sobre o assunto, entre em contato. E se este artigo foi útil a você, fique à vontade para compartilhá-lo em suas redes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *