Computação quântica e segurança da informação: uma ameaça?

Computação quântica é um tema complexo. Mas, simplificadamente, ao contrário da computação clássica, que executa dados codificados de acordo com o sistema binário (o estado de qualquer bit único pode ser apenas 0 ou 1), os computadores quânticos executam dados que vêm na forma de qubits ou bits quânticos que podem assumir os estados de 0 e 1 ao mesmo tempo.

Como comentei em outra oportunidade em um artigo no blog da Scurra, a computação quântica, por ter um processamento simultâneo, possibilita computadores a resolver problemas complexos muito mais rapidamente do que as máquinas normais.

Mas, qual a relação entre computação quântica e segurança da informação? Quais são as ameaças?

Computação quântica e a segurança da informação

A preocupação com a relação entre computação quântica e segurança da informação não é por acaso. Isso porque, criptografia e cibersegurança são dois domínios que terão um impacto significativo com os computadores quânticos.

Como sabemos, transações de cartões de crédito, bancos de dados de empresas e outras informações confidenciais são criptografadas. O mundo, aliás, “confia na criptografia para proteger tudo”, como menciona um artigo da MIT Technology Review.

Conforme explica o texto, um novo relatório publicado pelas Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina dos EUA destaca a importância de “acelerar os preparativos para o tempo em que computadores quânticos superpoderosos podem quebrar as defesas criptográficas convencionais”.

Diz o texto que é possível que máquinas quânticas altamente capazes apareçam. E, “se os hackers colocarem as mãos neles, o resultado poderá ser um pesadelo de segurança e privacidade”, ressalta o autor.

Isso significa que, se os computadores quânticos caírem nas mãos de hackers, teoricamente eles seriam capazes de usá-los para interromper sistemas considerados seguros contra os ataques de computação clássica. Desse modo, permitindo o acesso aos dados até então protegidos.

Então, viveremos uma ameaça?

Apesar dos riscos, “a computação quântica também pode ajudar a melhorar nossa capacidade de proteger dados críticos e pessoais, particularmente no que diz respeito ao aprendizado da máquina quântico e à geração de números aleatórios quânticos”, é o que diz Chris Hockings, CTO da IBM Security, Austrália e Nova Zelândia.

Ele explica que com o Machine Learning (aprendizado da máquina) anomalias de comportamento podem ser detectadas, assim, será possível prever ameaças.

Um outro artigo, publicado pelo Financial Times, lembra que a ameaça quântica ocorre no momento que a Internet das Coisas e o 5G estão chegando, exigindo requisitos de segurança mais altos do que antes.

De acordo com o texto, há duas maneiras gerais de criar um futuro quântico seguro:

“Uma é criar novos algoritmos que, na visão de muitos matemáticos e cientistas da computação, nem mesmo os computadores quânticos mais poderosos serão capazes de violar. A segunda alternativa é construir uma solução física baseada na mecânica quântica. Ao contrário dos algoritmos, os computadores quânticos podem produzir números verdadeiramente aleatórios sem padrões. Somente estes podem suportar tentativas de hackers por outros computadores quânticos”.

Concluindo

Muito tem sido discutido sobre computação quântica e segurança da informação. Além disso, diversas empresas têm trabalhado para desenvolver produtos quânticos que sejam cada vez mais seguros.

Por fim, e focando no tema segurança da informação, fecho o artigo com a sugestão de algumas leituras:

Gostou deste post? Fique à vontade para compartilhá-lo com seus colegas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *