Entenda o papel da TI na Governança Corporativa

Quando falamos em Governança Corporativa em nosso país o IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa) é – como eles mesmos se denominam – o guardião do maior patrimônio intelectual de GC. Com o intuito de recomendar melhores práticas de governança e contribuir para que o tema evolua nas empresas, o instituto publica o Código das melhores práticas de governança corporativa.

O que o código de Governança corporativa tem a ver com TI?

Em primeiro lugar, é preciso entender que, conforme esclarece o próprio IBGC:

“Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.

As boas práticas de governança corporativa baseiam-se em quatro pilares básicos:

  • Transparência
  • Equidade (tratamento justo e isonômico de todos os sócios e demais partes interessadas)
  • Prestação de contas (accountability)
  • Responsabilidade Corporativa.

Para que os quatro pilares possam ser respeitados, o código do IBGC diz, entre outras coisas, que:

  • O Conselho de Administração deve assegurar a busca e a implementação de tecnologias e processos inovadores que mantenham a organização competitiva, atualizada às práticas de mercado e de governança.
  • A fim de que a diretoria seja transparente em seus atos, as informações devem ser disponibilizadas imediata e simultaneamente a todos os interessados, independentemente de localização geográfica. Websites e outras tecnologias devem ser explorados para buscar a rapidez e a ampla difusão de tais informações.
  • Reuniões devem contar com o máximo número de conselheiros. Para isso a empresa deve investir em tecnologias que permitem reuniões não presenciais.

Observe que somente nesses três itens mencionados pelo IBGC já conseguimos ver o papel da TI dentro da estrutura da Governança Corporativa. Por exemplo, é a área de Tecnologia da Informação que tem todo o know-how das tecnologias que auxiliarão a empresa a manter-se competitiva. São seus profissionais que conseguem tecnicamente avaliar o que melhor se aplica ao negócio.

Mas são nos quesitos de transparência e prestação de contas que mais conseguimos ver o quão a TI é fundamental. Conselheiros de administração e/ou tomadores de decisão precisam ter a certeza de que contam com informações atualizadas. Mais do que isso: de que os dados estão protegidos.

Nesse sentido, a TI, grande responsável por assegurar uma gestão de dados eficiente, deve garantir que a organização esteja protegida das ameaças de segurança da informação. Segurança interna é de responsabilidade do setor e os agentes de governança da organização precisam estar certos de que informações financeiras e estratégicas compartilhadas estão muito bem protegidas.

No que tange às tecnologias para reuniões não presenciais, a TI cuida da escolha das ferramentas tecnológicas de comunicação e também do desempenho das mesmas. Para isso, deve garantir que a infraestrutura esteja adequada.

Mais sobre Governança Corporativa e TI

Como comentei, o IBGC é o guardião das práticas de governança no Brasil. Seu código deixa claro o papel da TI na boa execução de um programa de GC. Além do que foi estabelecido no documento, ressaltamos também outros pontos que mostram como a área de Tecnologia da Informação é importante para a Governança Corporativa. Caso você tenha interesse em saber mais, acesse este artigo.

Gostou do post? Fique à vontade para compartilhá-lo com seus colegas. Aproveite que está aqui e acesse outros materiais no blog da Scurra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *