Gestão de Riscos de TI: gerencie ameaças e vulnerabilidades de sistemas e segurança

Todos nós lidamos com riscos em nossas rotinas. Ao sairmos de carro, existe a possibilidade de uma falha mecânica. Ao viajarmos podemos ficar doentes. Ao reservarmos um hotel, existe o risco de chegar no local e não ter nenhum quarto disponível.

Para não sermos pegos desprevenidos pelas situações acima, podemos tomar algumas atitudes: adquirir um seguro de automóvel, fazer um plano de saúde para viagem e ligar para o hotel uns dias antes para confirmar a reserva. Nesses casos, estamos nos antecipando ao fato de que um problema pode ocorrer, mas queremos solucioná-lo antes que ele traga consequências piores.

A essa situação descrita de maneira simples damos o nome de Gestão de Riscos, que nada mais é do que o processo de identificar, analisar e responder a fatores de risco ao longo de um projeto ou atividade. Um adequado gerenciamento de riscos reduzirá não apenas a probabilidade de ocorrência de um evento, mas também a magnitude de seu impacto.

Observe que ao se antecipar a um risco seu negócio não será tão afetado por surpresas. Como o foco aqui é a área de TI, convido você a conhecer sobre a Gestão de Riscos de TI.

O que é a Gestão de Riscos de TI?

A Gestão de Riscos de TI trata de um processo de identificar, monitorar e gerenciar potenciais riscos de segurança ou tecnologia da informação com o objetivo de eliminar ou minimizar impactos negativos. Possíveis riscos de TI incluem violações de segurança, perda ou roubo de dados, ataques cibernéticos, falhas no sistema e desastres naturais.

Quer um exemplo bem simples? Muitas vezes, por falta de atualização de software ou browser, ocorrem os ataques de ransomwares. Para evitar que esse risco ocorra, o papel da TI é garantir os updates. Além disso, é fundamental ter uma estrutura de dados segura em sua empresa, contando sempre com uma empresa de inteligência em TI para garantir que a segurança dos dados esteja em boas mãos.

A natureza dos riscos de TI englobam:

  • Ameaças físicas: resultantes de acesso físico ou danos a recursos de TI, como os servidores. Um exemplo aqui seria o acesso não autorizado a dados confidenciais por um funcionário ou hacker.
  • Ameaças eletrônicas: um hacker pode ter acesso ao seu site, seu sistema de TI pode ser infectado por um vírus ou você pode ser vítima de um engenheiro social.
  • Falhas de infraestrutura: uma perda da conexão de Internet pode interromper os negócios e reduzir a produtividade da empresa.
  • Erro humano: algum colaborador pode acidentalmente excluir dados importantes, acessar informação não autorizada, abrir um anexo com vírus ou não seguir os procedimentos de segurança determinados pela TI.

E como se proteger dos riscos de TI?

A Gestão de Riscos de TI realizada com eficiência segue seis etapas:

  1. Identificação de riscos: elenque todas as ameaças que falhas em sistemas da TI podem ocasionar na empresa.
  2. Avaliação dos riscos: qual é a gravidade de cada risco elencado na etapa acima? Aqueles que tiverem maior impacto devem ser priorizados, isto é, será necessário tomar ações imediatas.
  3. Mitigação de riscos: implemente medidas preventivas para reduzir a probabilidade de ocorrência do risco e limitar seu impacto.
  4. Desenvolvimento de resposta a incidentes: estabeleça planos para gerenciar um problema e recuperar suas operações.
  5. Desenvolvimento de planos de contingência: garanta que sua empresa possa continuar funcionando após um incidente ou uma crise.
  6. Monitoramento de riscos: a Gestão de Riscos é contínua, portanto, constantemente verifique a eficácia das estratégias adotadas para gerenciar os riscos identificados na primeira etapa. Além disso, é importante sempre avaliar a possibilidade de novas ameaças e se há riscos que não haviam sido identificados.

Explicando de forma mais prática…

É extremamente recomendável que a área de TI tome algumas medidas para se proteger dos riscos. A primeira delas seria a instalação de controles de segurança como firewalls, software antivírus e processos que ajudam a evitar invasões.

A Gestão de Riscos de TI requer também a implementação de políticas e procedimentos de segurança. Por fim, mas não menos importante, é contar com a ajuda de profissionais qualificados e com dedicação total para garantir a segurança dos dados da empresa e da infraestrutura de TI.

Muitas vezes, não é possível ter profissionais assim dentro da organização. Se esse for o seu caso, considere contar com parceiros que atuarão como terceirizados para apoiar na Gestão de Riscos de TI. Para você entender melhor, recomendo a leitura do post Outsourcing em TI é um bom negócio?

Caso você queira saber mais sobre o que abordamos aqui, entre em contato com a Scurra! E se este artigo foi útil para você, compartilhe-o com seus colegas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *