O conceito de rede wireless e suas aplicações

Durante séculos, o homem tentou desenvolver uma forma de comunicação que ultrapassasse barreiras de tempo e espaço. Isso seria útil para transmitir informações entre continentes, principalmente em épocas de guerra. Mas antes de discutirmos sobre a atual rede sem fio, devemos lembrar que ela não existiria sem a criação da primeira onda de rádio em 1888. Desde este ano, inventores e pesquisadores vêm modelando o que conhecemos como “rede wireless”, uma tecnologia que hoje está presente em escolas, residências, empresas e espaços públicos.

Os serviços de comunicação baseados na rede wireless apresentam grandes índices de adoção em todo o mundo, motivados principalmente pela sua eficiência, potencial de mercado e relação custo benefício, se comparada ao sistema de cabeamento convencional. No setor corporativo, essa solução já é amplamente utilizada para substituir os sistemas estruturados, oferecendo mais mobilidade e facilidades de conexão. A seguir, conheça o seu conceito e suas formas de aplicação.

O conceito de rede wireless

O termo Wireless, no português, significa “sem fio”. Ele é utilizado para designar qualquer tipo de conexão para transmissão de informações sem o uso de fios ou cabos, como por exemplo, a conectividade existente entre os dispositivos móveis e as torres de operadoras telefônicas. A transferência de dados é feita entre dois ou mais pontos que não estão conectados fisicamente, que podem estar a metros ou quilômetros de distância um do outro.

A rede wireless ajudou na difusão do termo “mobilidade”, que está associado à possibilidade de se comunicar a qualquer hora (anytime) e lugar (anywhere). O seu funcionamento é bastante simples, necessitando apenas da utilização de um aparelho denominado Access Point. Este mecanismo transforma os dados da rede em ondas de rádio e as transmite por meio de antenas, deixando-as disponíveis para computadores, tablets e smartphones.

Indicações de aplicações

A rede wireless elimina a utilização do cabeamento convencional, oferecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível e apresentando uma ótima conectividade em prédios residenciais ou empresariais e nos locais onde há um grande fluxo de pessoas, como restaurantes, universidades, aeroportos e hotéis. Quanto às aplicações, existem dois tipos: indoor e outdoor. Se a rede necessita de comunicação entre dois ambientes, a conexão é feita por uma aplicação outdoor. Diferente desta, a indoor acontece dentro de apenas um local.

Da mesma forma que a cabeada, a rede wireless também pode ser de dois tipos: WAN (Wireless Wide Area Network) e LAN (Wireless Local Area Network). A primeira teve seu desenvolvimento, a princípio, voltado à comunicação de voz, mas agora também permite a transferência de dados. Já a segunda, também conhecida como WLAN, baseia-se na comunicação de equipamentos em áreas específicas, como escritórios e ambientes comerciais. O seu principal objetivo é estabelecer a comunicação entre dispositivos portáteis, como notebooks e tablets, com a propagação de ondas de rádio, permitindo compartilhar informações de usuários dispersos.  

Diferenças entre tecnologias

Existem três padrões principais para a rede wireless: 802.11a, 802.11b, 802.11g e 802.11n. A numeração engloba diversas especificações que serão utilizadas nas redes sem fio, e cada letra refere-se a especificações desenvolvidas pelo IEEE, uma instituição nacional que estabelece padrões que os fabricantes devem adotar ao desenvolver equipamentos, que indicam parâmetros como canal, velocidade e frequência. Conheça-os a seguir:

Padrão 802.11a: introduzido no mercado em 1999, oferece uma velocidade de 54 Mbits/s com frequência de 5GHz, alcance máximo de 150 metros e 64 pontos de acesso simultâneo.

Padrão 802.11b: também lançado em 1999, oferece alcance de 150 metros, conexão de 32 pontos simultâneos e velocidade máxima de 11 Mbits/s e frequência de 2,4GHz.

Padrão 802.11g: uma atualização do padrão 802.11b, que permitiu que as redes pudessem trabalhar a 54 Mbits/s com frequência de 2,4GHz, mas mantendo o mesmo alcance.

Padrão 802.11n: padrão relativamente novo, aprovado em 2009. Ele é compatível com os dois padrões anteriores e suporta de 65 a 300 Mbps, com frequência de 2,4 e/ou 5GHz.

Você utiliza a rede wireless em sua empresa? Como ela foi aplicada? Conte para a gente nos comentários!