Os perigos de não licenciar um software

SoftwarePirata

O brasileiro de maneira geral não costuma se preocupar muito com o licenciamento de software; preferimos o uso de material pirata, seja comprado nas ruas ou retirado da internet.

Essa prática é vista como uma maneira prática de economizar dinheiro. E, como o controle da pirataria online ainda é fraco no Brasil, parece ser um crime perfeito. Até mesmo empresas algumas vezes preferem baixar o popular torrent, em vez de licenciar um software.

Porém, essa história de “crime perfeito” é mera ilusão. Existem vários perigos em não licenciar um software. Talvez você ainda não saiba exatamente o que pode acontecer ao baixar uma versão pirata.

Saiba agora os riscos que sua empresa estará correndo ao adotar essa prática:

Danos às máquinas da empresa

Softwares sem licença geralmente vêm acompanhados por arquivos maliciosos. Esses arquivos – como adwares, ou plugins indesejados – tornam seu computador mais lento e alteram a maneira como ele trabalha.

Eles podem modificar, sem sua autorização, o seu buscador de internet padrão. Podem incluir antivírus extra na sua máquina, ou programinhas que prometem melhorar o desempenho da máquina (mas que, na verdade, só pioram este desempenho). O resultado é uma máquina que já não atende às suas necessidades, danificada e inutilizada.

Risco de roubo de dados

Mas não são apenas adware e plugins que acompanham os downloads piratas. Ao escolher não licenciar um software, e optar pela versão retirada da internet, você está arriscando-se a receber vírus ou entrar em conexões desprotegidas.

Como resultado, dados importantes podem ser roubados de seu computados. Isso inclui senhas de e-mails e também senhas de banco, ou qualquer outra informação armazenada na memória da máquina. E vale a pena ressaltar que, uma vez que uma máquina seja infectada, toda a rede de sua empresa também estará vulnerável.

Gastos adicionais

Quando você escolhe não licenciar um software, está na verdade “trocando seis por meia-dúzia”. Isso por que todo o dinheiro que você economizou em licenças vai acabar sendo usado, mais cedo ou mais tarde, para pagar por proteções e manutenções extra. Gastos que não existiriam, se você tivesse mantido suas máquinas livres de softwares crackeados e potencialmente perigosos.

Perda de direito a suporte técnico

O risco de que falamos aqui é a perda do acesso a direitos que os usuários regulares usufruem. Praticamente todos os softwares com licença paga oferecem suporte em caso de problemas, uma garantia de troca em caso de defeitos, e também atualizações para versões mais recentes.

Porém, se a sua versão for pirateada, telefonar para o desenvolvedor do software quando ela der problemas será inútil. Você precisará resolver por conta própria os defeitos e falhas no funcionamento do software.

Possibilidade de fiscalização

Esse é um perigo improvável, mas não impossível. Caso seja feita uma denúncia da sua conduta e a polícia federal conduza uma fiscalização em sua empresa, você precisará pagar altas multas por ato de pirataria – mesmo não sendo o autor da cópia ilegal. A multa é alta – e, caso não seja possível averiguar quantas cópias de software ilegais você utiliza, será preciso pagar pelo equivalente a três mil cópias.

 

Licenças de software podem parecer caras, especialmente em nosso país. Por outro lado, elas garantem sua segurança e a de sua empresa – em diversos sentidos. Por exemplo, o risco de roubo de dados já não é mais uma ficção científica; hoje em dia, esse tipo de ataque cibernético é comum e acontece por todo o mundo.

Coloque na balança. Vale a pena não licenciar um software? Ou os riscos superam a economia? Esse é um debate polêmico, principalmente para quem trabalha diretamente com tecnologia. Deixe sua opinião nos comentários deste artigo ou entre em contato com a SCURRA para que lhe auxilie neste processo de legalização de SOFTWARE!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *