Que tipo de disco rígido usar para sua aplicação? HD, SSD, SCSI e muito mais.

Tipos de discos rígidos

O funcionamento correto de um computador exige que uma série de dispositivos funcione em conjunto com uma série de programas, cada um deles realizando sua função.

Entre os dispositivos encontram-se os discos rígidos, responsáveis por armazenar as informações de forma não volátil. É nele que suas fotos, vídeos, filmes, etc… são armazenados quando salvos.

O que são discos rígidos?

Desde os primórdios da informática um dos maiores desafios sempre foi salvar os dados de forma permanente, evitando assim a perda de informações. Este sempre foi um grande desafio pois a operação mecânica de armazenar os dados voláteis, pulsos elétricos, requer um esforço muito grande que acaba gerando gargalos.

Os discos rígidos, também conhecidos como HDs, derivação de HDD do inglês hard disk drive, sofreram diversas evoluções passando de dispositivos lentos, inseguros, enormes e com baixa capacidade de armazenamento para dispositivos que permitem gravações de dezenas de terabytes e cabem na palma da mão.

Tipos de discos rígidos

Assim como todos os dispositivos, os discos rígidos passaram por modificações buscando um melhor aproveitamento e otimização para cada tarefa, isso gerou algumas variações de acordo com as necessidades que foram surgindo. Atualmente os principais tipos de discos rígidos utilizados são:

HDD

É o disco comum, utilizado na maioria dos computadores pessoais. Tem uma capacidade de transferência limitada, porem é relativamente barato e seguro. Estes HDs geralmente são utilizados para computadores comuns, como forma de armazenamento de dados (HDs externos) e para pequenos servidores. Porém podem se tornar o gargalo do computador se a leitura e escrita de dados for constante.

SSD

Sigla do inglês solid-state drive, é um dispositivo sem partes mecânicas para armazenamento de informação. Os SSDs são constituídos de circuitos integrados e funcionam de forma semelhante aos pendrives. São a evolução dos HDs comuns e permitem uma taxa de transferência maior que HDs, alem de trabalharem em temperaturas mais elevadas, até quase 70 º.

O SSD ainda é uma tecnologia em ascensão o que faz com que seu custo seja muito elevado, e sua capacidade de armazenamento bem inferior se comparada aos discos comuns.

Ele é muito utilizado em computadores pessoais para acelerar a incialização do sistema operacional, jogos ou softwares que precisem carregar muitos recursos do disco.

Discos Híbridos

Como uma forma de “unir o melhor dos dois mundos” foram criados discos hibridos. Estes discos possuem um sistema de cache em SSD que automaticamente armazena os blocos mais utilizados, entre estes blocos estão os de inicialização do sistema operacional, programas mais utilizados, arquivos temporários com muito acesso. Os discos híbridos possuem ainda uma unidade de disco comum que permite grande capacidade de armazenamento com um custo bem inferior.

SCSI

Sigla de Small Computer System Interface, é, simplificando, uma tecnologia que permite a comunicação entre dispositivos de forma rápida e confiável. O disco rígido é ligado através de uma interface SCSI a uma controladora que tem o papel de intermediaria e interprete entre o computador e o disco rígido. Apesar desse tipo de disco não ser novo – foi lançado em 1986 – até hoje é usado em alguns servidores.

Seu principal uso sempre foram os servidores profissionais. Eles possuem uma velocidade muito superior a dos discos comuns. Algumas controladoras permitem a conexão de vários discos, porém  seu custo é elevado comparado aos discos comuns.

SAS

Serial Attached SCSI é uma variação do SCSI que utiliza uma forma de transmissão serial de dados, o que entre outros fatores, faz com que sejam atingidas velocidades muito superiores aos SCSI chegando até incríveis 6 Gb/s (gigabits por segundo) alem de permitir conexão com até 128 dispositivos.

Ele é muito usado em servidores profissionais, storages e outras formas de armazenamento que precisam de um grande desempenho.

Que tipo de disco rígido devo usar?

Com tantas opções é normal se perguntar, que tipo de disco deve ser usado. Essa é uma pergunta complexa, cuja resposta depende de vários fatores, entre eles, a finalidade e quantidade dos dados armazenados, e a quantidade de acessos.

É muito importante que todas as variáveis sejam analisadas quando você for decidir que tipo de disco usar, pois podem haver perdas consideráveis de produtividade e, consequentemente, rentabilidade do negocio se forem omitidas ou subestimadas qualquer uma dessas variáveis.

A melhor forma de evitar esse tipo de perda é sempre trabalhar com profissionais que possam auxiliar na visão total do processo, que através do conhecimento prévio possam estimar e aplicar de forma mais segura as configurações e otimizações necessárias. Os profissionais do Scurra estão sempre prontos para lhe ajudar.

Também é sempre necessário manter-se informado sobre novas tecnologias e tendências. Muitas vezes, pequenas mudanças com custos mínimos ou nulos podem acarretar em grandes ganhos de desempenho e produtividade, tornando seu negocio cada vez mais rentável.

Você tem alguma experiência interessante em relação à escolha do disco rígido que possa ajudar outras pessoas? Compartilhe com a gente nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *