Saiba como escolher entre um servidor interno ou em nuvem

Cloud

A virtualização já revolucionou o mundo dos servidores há algum tempo. Hoje em dia, não faz sentido investir em uma infraestrutura estática com o dinamismo da evolução das plataformas de software. Empresas migram de sistemas todos os dias e novas versões são instaladas com requisitos diferentes.

Um servidor virtualizado traz uma facilidade de gerenciamento que antigamente era impossível: mais memória pode ser destinada a um ou outro servidor virtual, mais disco e até mesmo mais núcleos de processamento. Com tanta flexibilidade, as empresas já adotam a virtualização em larga escala. Mais recentemente, o conceito de virtualização abriu as portas para outra tendência que já mostrou que veio para ficar: a computação em nuvem.

Com a nuvem, um servidor não só é virtualizado, mas reside em uma infraestrutura física off-site, normalmente em um data center com todos os maiores recursos, plenamente acessível via Internet. Os ganhos de escalabilidade e custos ganham ainda uma nova dimensão: empresas passam a investir em grandes infraestruturas e oferecem “pedaços” dela, através de virtualização, a empresas que tem como TI apenas uma área meio, e não sua área fim.

Dessa forma, um upgrade que anteriormente exigiria uma mudança física em um servidor, hoje se resume a apenas alguns clicks em um painel de controle. Muito simples, não? Mas será que uma solução em nuvem é sempre a melhor solução? Ou um servidor interno é mais adequado para a sua empresa? Vamos tentar entender melhor as vantagens e desvantagens de cada cenário.

Os prós e contra de um servidor interno

A principal vantagem de um servidor interno é o fato de ele não depender de uma conexão com a Internet para estar disponível na rede interna da empresa. Essa mesma vantagem torna-se uma desvantagem, entretanto, quando olhamos a empresa de fora: uma indisponibilidade em seu link de Internet tira os serviços do ar para os usuários externos.

As vantagens da presença física do servidor na empresa praticamente encerram-se por aí: em termos de segurança, os riscos de se ter o servidor no mesmo local de operações são maiores e devem ser contrabalanceados com backups com armazenamento externo à empresa; a infraestrutura necessária para garantir a disponibilidade dos serviços requer grande investimento da empresa, e raramente se equipara a dos data centers mais simples; e até mesmo a segurança física do servidor fica mais frágil, requerendo um rigoroso controle de acesso.

E que tal um data center?

As vantagens de um servidor hospedado em um data center, por outro lado, já ficam evidenciadas: segurança física e alta disponibilidade dos serviços devido a redundâncias nos circuitos elétricos e nos links de Internet, apenas para mencionar alguns.

Claro, isso vem com um custo. Mas é ilusória a crença de que se os mesmos recursos fossem ser disponibilizados em casa seriam a um custo menor. Quando hospedamos um servidor em um data center, os custos associados à segurança e às redundâncias de energia e Internet são rateados por centenas, às vezes milhares de clientes. Isso faz com que, a longo prazo, os investimentos com a hospedagem em um data center sejam menores.

Infraestrutura em nuvem terceirizada

Quando combinamos os fantásticos recursos de virtualização e a hospedagem em um data center, surge a possibilidade de contratação de servidores em nuvem, com grandes vantagens às empresas usuárias do serviço. Em primeiro lugar, a empresa deixa de se preocupar com a infraestrutura necessária à operação confiável e segura de um servidor: até mesmo os procedimentos de backup fazem parte do serviço!

Os investimentos, embora pareçam maiores por normalmente envolver um custo mensal, acabam sendo menores por diversos fatores: não existe um investimento inicial de aquisição, não existem custos periódicos de upgrade de infraestrutura e o serviço vem acompanhado de extras como suporte, garantia de disponibilidade, acesso via Internet ou VPN e excelentes recursos de monitoramento.

O diagnóstico final

De maneira geral, hoje em dia faz muito mais sentido às empresas utilizarem servidores em nuvem do que internos. Claro que essa é uma decisão que, em última instância, está associada à cultura e maturidade de TI da empresa, mais do que qualquer outro fator, e se a empresa não estiver preparada para o uso da computação em nuvem, pode ser melhor manter um servidor interno. Transferi-lo para um data center já pode ser um grande passo inicial!

Entretanto, dados os benefícios reais e palpáveis de um servidor cloud, vale a pena conhecer melhor e saber como essa tecnologia pode trazer resultados excelentes em termos de custos, produtividade, desempenho, escalabilidade e agilidade.

Você já se decidiu por um servidor interno ou em nuvem? Comente abaixo e compartilhe sua opinião! Se tiver dúvida, clique AQUI entre em contato conosco.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *